p6p17p326p548 Seminário de Encerramento da Avaliação da Estratégia 15 de Dezembro - 15 horas
Centro Cultural de Belém – Sala Siaca 15 de Dezembro - 15 horas

Centro Cultural de Belém – Sala Siaca

Decorreu ontem, na Sala Siaca do Centro Cultural de Belém, em Lisboa, a Apresentação das Conclusões da Avaliação da Estratégia Nacional da Luta contra a Droga, com intervenções de Nuno Freitas, Presidente do Conselho de Administração do IDT, Valadares Tavares, Presidente do Instituto Nacional de Administração (INA) e Sua Excelência o Senhor Ministro da Saúde - Dr. Luís Filipe Pereira.

Nuno Freitas, Presidente do IDT, abriu a Sessão, mostrando-se muito satisfeito e orgulhoso por poder mostrar os resultados alcançados, que permitem traçar as linhas orientadoras para o futuro no que diz respeito à Toxicodependência em Portugal. “Podemos dizer com orgulho que este é dos melhores trabalhos de género realizados em Portugal. Este tipo de avaliação pública não têm história no nosso país e penso que fizemos um trabalho muito positivo”, afirmou o Presidente do IDT, esclarecendo os três grandes eixos de acção do processo – a Avaliação Externa (a cargo do INA, a Auto-Avaliação e a consulta ao público em geral.

Por seu turno, Valadares Tavares, após apresentar a Avaliação Externa realizada pelo organismo a que preside, mostrou não estar arrependido de “ter respondido afirmativamente a este desafio lançado pelo IDT, que consistia numa Avaliação séria de uma política pública, feita em pouco tempo por uma equipa isenta e totalmente liberta de influências”, realçando a sua importância e deixando algumas sugestões para uma abordagem futura ao problema da Droga. O Presidente do INA afirmou ainda que “todo este trabalho de Avaliação elaborado pelo IDT tem nota muito positiva e origina um balanço positivo dos três meses que este Conselho de Administração leva à frente do IDT”.    

Na sua intervenção, Luís Filipe Pereira sublinhou a “importância da avaliação da Estratégia iniciada em 1999, já que é vital conhecer os resultados alcançados para podermos traçar novos objectivos e acções para encarar o futuro”. O Ministro da Saúde reforçou a ideia de que é acertado incluir as toxicodependências, problema que deve ser encarado como uma doença, na alçada do seu Ministério, sendo que o “veículo organizador” de todo o processo é o IDT, o “único organismo inserido num Ministério que se dedica exclusivamente a uma patologia”.

Por fim, Luís Filipe Pereira deixou três grandes conclusões relativamente ao processo de Avaliação que ontem findou – “as drogas mantém uma forte presença entre todas as faixas etárias da população portuguesa, principalmente nas mais jovens, apesar de todo o esforço e investimentos realizados; é necessário manter o rigor técnico-científico no tratamento deste flagelo; este processo de Avaliação aparece como um dos mais completos actos do género sobre uma política pública em Portugal” 1 data 16-12-2004 16:24:55 159380695 sim sim