p2p504p557 Uma agenda positiva para 2005 Francamente, o ano de 2005 começa com contrariedades na luta contra as drogas e toxicodependências em Portugal. Por esta altura, poderíamos estar na alvorada de novos caminhos e respostas, resultantes de uma avaliação participada e consistente da estratégia nacional de luta contra as drogas (1999-2004) entretanto concluída e de uma nova estratégia europeia sobre drogas 2005-2012 entretanto aprovada.

É certo que o envolvimento directo de mais de 10.000 pessoas, sobretudo entre Setembro e Dezembro de 2004, na avaliação global e sectorial da ENLCD – as múltiplas reuniões temáticas e especializadas, os pareceres e presença de mais de 200 organizações da sociedade civil, a campanha de participação pública com enorme adesão e até a realização do 1º congresso nacional do IDT – criou um movimento de análise compartida, discussão aberta e geração de novas soluções que não será facilmente anulado.

Mas agora seria o tempo de detalhar as matérias, forjar os instrumentos e apurar as melhores ideias. As 12 Linhas de Acção que propusemos para uma nova Estratégia Portuguesa de Combate às Drogas e Toxicodependências (www.idt.pt) não rompiam, portanto, com a nossa experiência e adquirido, nem seriam o resultado final e acabado do rumo futuro. Mas constituíam uma base sólida de referência para consideração de uma Comissão Especializada, de garantida craveira técnica e científica, para apresentação no 1º trimestre do ano da nova Estratégia Portuguesa.

Sem rodeios, vale a pena dizer que a luta contra as drogas não ganha com este calendário político e o vazio governativo que sempre sucede em Portugal, durante meses, nestas circunstâncias. Ficaram prejudicadas decisões muito importantes. Apesar disso, o nosso trabalho continua. Ainda que as deliberações de cariz estratégico estejam comprometidas, há muito que fazer no IDT e na rua. Por isso, estamos a finalizar a proposta-base de guidelines terapêuticos na área das toxicodependências. Por isso, estamos a reformular os Planos Integrados de Lisboa e Vila Franca de Xira, avançando simultaneamente com projectos-piloto regionais e locais na área da prevenção e do tratamento. Por isso, também, apresentámos já uma proposta de actualização das convenções e desbloqueámos várias empreitadas e instalações necessárias em todo o País.

E vamos ter novidades. Na Comunidade Terapêutica Ponte da Pedra, pronta e fechada há anos na região do Grande Porto, nas publicações com um novo boletim dedicado às neurociências e toxicodependências, na prevenção primária com o lançamento de uma mobilizadora iniciativa nacional ou com a assistência mais directa às queixas e necessidades das famílias e dos toxicodependentes.

Prosseguir, portanto. E confiar no muito que nos reserva o bom ano de 2005. 1 data 31-01-2005 12:04:36 163339476 sim sim